Willian Tardelli - Fotojornalismo em Araxá e região

Você está aqui

Autores do duplo latrocínio casal Igor & Rafaela são julgados em Araxá e penas somadas, passam de 140 anos.

Publicado em 10-10-2016 00:00

       A Vara Criminal da cidade de Araxá/MG, hoje sob a responsabilidade do M.M Juiz de Direito, Dr. Renato Zouain Zupo, realizou os julgamentos dos réus Yuri Santiago Borges, de 22 anos, Igor Rafael de Paulo Silva, de 18 anos, Vinicius Henrique Machado da Mata, de 20 anos, pelo crime de latrocínio duplo, que tirou a vida do casal Higor Humberto Fonseca de Sousa e Rafaela D’Luz Giordani. O jovem casal foi morto de forma cruel e brutal no dia 23 de janeiro, em sua residência localizada no bairro Belvedere em Araxá.

       O crime que foi apurado pela equipe de Delegados e investigadores da 2ª delegacia regional de Policia Civil de Araxá, conseguiu com êxito prender e apreender os autores em 27 de janeiro deste ano de 2016 na cidade de Araxá/MG, sendo que um deles (Yuri) que se encontrava foragido desde a data do crime, foi preso em fevereiro na cidade de Uberlândia/MG. As investigações apuraram que o crime foi cometido com a participação de seis pessoas, sendo 03 adolescentes identificados como sendo E.I.L.J e E.S.R ambos com 17 anos e pelos maiores de idade, Yuri, Igor e Vinicius.

       O M.M Juiz de Direito, Dr. Renato Zouain Zupo, após ouvir todos os envolvidos, concluiu e concordou com o Ministério Público de Minas Gerais em sua denúncia, que todos os réus ouvidos participaram direta ou indiretamente do bárbaro crime. O magistrado destacou que este jogo de “empurra e empurra” é normal, e que isso pode descrito por parte dos autores como, covardia, vergonha ou qualquer outro sentimento, tentando com isso, minimizar de alguma forma a responsabilidade de cada um, no brutal duplo latrocínio, que tanto chocou a cidade de Araxá e o Brasil, já que infelizmente o crime tomou repercussões a nível nacional. O inquérito Policial e as análises da Vara Criminal e Ministério público, foram profundas de onde se chegou as seguintes conclusões:

       Que o réu Vinicius Henrique foi quem tramou o assalto e passou aos demais sobre a existência de suposto cofre na residência, que somente ele sabia, pois ele era amigo pessoal do casal, frequentava a residência dos mesmos, até pouco antes de parar de trabalhar para a vítima Higor, levou Yuri para descobri onde o casal morava, achava que assumindo sua culpa em parte no crime, reduziria sua participação no brutal assassinato. Yuri como sendo o autor material do assassinatos, foi motivado por Igor (Gudim), que tinha juntamente com Vinicius um desafeto pela vítima Higor. Yuri afirma em seu depoimento que “as vítimas morreram por vingança e não por assalto”, ou seja vingança de Gudim que lhes queria fazer mal, de Vinicius que teria sido demitido e se desentendeu com a vítima, sendo também seu concorrente.

       Que a intenção não era roubar, como iriam roubar se os alvos eram o suposto cofre que Vinicius disse, como iriam levar a caminhonete sem as chaves que estava e ficavam com a vítima Higor, como iam levar as joias sem a presença das vítimas? Yuri disse em seu depoimento na Polícia, que em data anterior, teria invadido a residência e não levou nada e preferiu voltar depois, Yuri disse “Gudim não tinha a intenção de roubar as vítimas e que sua única intenção era tirar a vida das as vítimas”. Em relação aos adolescentes, não foi possível entender, a todo o tempo eles disseram meias verdades, somente oque lhes conviria e os beneficiariam. Igor (Gudim) não conseguiam manter suas mentiras, por diversas vezes deixava escapar detalhes interessantes desta infeliz trama, em seu próprio depoimento diz que foi buscar o menor E.I.L.J e uma outra arma para que Yuri liquidasse com a vida do casal, pois eles o teriam reconhecido. Portanto a participação de Igor (Gudim) e Vinicius foi crucial para a morte do casal, sem eles, não teria localização da casa, nem caminhonete, nem o suposto cofre que tanto despertou a cobiça de Yuri, porque com a casa vazia não levariam caminhonete e muito menos saberiam de cofre.

       Diante de tudo isso, dos trabalhos brilhantemente da Policia Civil de Araxá, na ocasião comandada pelo Delegado Regional, Dr. Cezar Felipe Colombari e demais Delegados, do chefe da inspetoria, Alisson Reis e demais investigadores, da imprensa local e nacional que ajudou na divulgação do então foragido Yuri, do excepcional trabalho do Ministério Público de Minas Gerais, e dos trabalhos defesas dos advogados dos réus, e de todas as pessoas envolvidas neste crime que manchou de sangue a história das famílias D’Luz, Giordani, Fonseca, Souza, e que tirou a vida do recém casal Higor e Rafaela, o M.M Juiz de Direito e responsável pela Vara Criminal de Araxá, Dr. Renato Zouain Zupo, condenou os autores Yuri, Igor (Dudim) e Vinicius, pelo crime de duplo latrocínio e corrupção de menores, onde:

*YURI SANTIAGO BORGES, de 22 anos, condenado a cumprir 53 anos de prisão. O mesmo deverá cumprir 3/5 da pena do duplo latrocínio e 1/6 pelo crime de corrupção de menores, ou seja, provavelmente será progredido para o regime semiaberto em 2045. Yuri é reincidente, cumpria pena na ato dos fatos.

*IGOR RAFAEL DE PAULO SILVA, de 18 anos, condenado a cumprir 44 anos e seis meses de prisão. Por ser tecnicamente primário, deverá cumprir 2/5 da pena aplicada ao duplo latrocínio e 1/6 da pena aplicada pelo crime de corrupção de menores e provavelmente será progredido para o regime semiaberto em 2033. Igor tem maus antecedentes, como menor de idade, já havia sido apreendido por tráfico de drogas, assalto a mão armada e furto.

*VINICIUS HENRIQUE MACHADO DA MATA, de 20 anos, condenado a cumprir 44 anos de prisão. Por tecnicamente primário, deverá cumprir 2/6 da pena aplicada ao duplo latrocínio e provavelmente será progredido em 2033. Vinicius até a presente data, nunca teria se envolvido com qualquer crime, nenhum boletim de ocorrência tão pouco por qualquer situação tinha em seu desfavor.

       Todos irão cumprir suas penas e podendo recorrer da decisão da Vara Criminal de Araxá, em regime fechado. A motocicleta de Igor (Gudim) utilizada no crime, que se encontra apreendida, será arrecadada e repassada ao Conselho Municipal de Segurança Pública (Consep). Aos adolescentes E.R.S e E.I.L.J ambos com 17 anos de idade, foram aplicadas medidas sócio educativas, por até 03 anos, sendo avaliados a cada 6 meses, sendo que E.R.S se encontra apreendido na cidade de Sete Lagoas/MG e E.I.L.J na cidade de Uberlândia/MG. O Magistrado também destacou os nomes das autoridades policiais, investigadores e pessoas que ajudaram na esclarecimento e prisão doa autores deste crime, sendo eles, Delegado regional Dr. Cezar Felipe Colombari, e Delegado Dr. Sandro Negrão, inspetor Alisson Reis, investigadores Matheus, David, Rodrigo, Edson, Mario, Ana Paulo, Paulo, Husdon (IML) e a todos que contribuíram.

Acompanhe no Facebook

Publicidade