Willian Tardelli - Fotojornalismo em Araxá e região

Você está aqui

Homem acusado de matar sogro a socos e pontapés em 2005 é condenado a 12 anos de prisão em Araxá.

Publicado em 12-11-2015 00:00

       O quarto dia de trabalho do Tribunal do Júri, referente ao segundo semestre de 2015 em Araxá, sob o comando do excelentíssimo juiz de direito da vara criminal, Dr. Renato Zouain Zupo, aconteceu nesta quinta-feira, 12 de novembro, com os julgamentos de crimes contra a vida ocorridos na cidade, onde o réu Ezequiel Ferreira de Lima, de 34 anos, acusado de matar a vítima, o senhor Marcelo dos Reis Silva, no dia do crime com 43 anos, a golpes de murro e pontapés, em 29 de janeiro de 2005, na rua Maria Lucinda da Mota, localizada no bairro Ademar Rodrigues Valle.

       Os autos do processo criminal, e a denúncia feita do Ministério Público (MP) de Araxá, indiciou Ezequiel Ferreira de Lima, ao crime de homicídio qualificado pelo meio cruel, na vítima Marcelo dos Reis. Os trabalhos de acusação foi representada pelo promotor de justiça Genebaldo Borges, que manteve a denúncia, e durante sua fala pediu ao conselho de sentença (jurados), que considerassem a denúncia e condenassem o réu, pois o réu sabia a todo tempo oque estava fazendo, sabia que a vítima estava bêbado e impossibilitado de defesa, relembrou os jurados dos depoimentos das testemunhas, onde todas disseram que o réu Ezequiel Ferreira, foi muito agressivo, batendo por diversas vezes na cabeça da vitima, inclusive sendo feita diversas tentativas que o acusado parasse com as agressões, porem exito. O promotor também mostrou ao corpo de jurados, o laudo da necropsia feita no corpo da vitima, que apontou multiplas fraturas na cabeça da vitima.

       DEPOIMENTO DA FILHA DA VITIMA

       Em seu depoimento a filha da vítima, relatou ao excelentíssimo juiz de direito, promotoria e advogados de defesa e conselho de sentença, que o acusado, na época seu namorado, não gostava do acusado e do fato deles estarem namorando, e que o acusado teria ido em sua residência, quando seu pai não estava em casa, e quando ele chegou do bar, ele não teria gostado, foi quando eles foram para o portão da residência, quando o acusado começou a bater em seu pai sem motivo aparente, disse também que seu pai estava “bêbado” e não teria feito nada com o acusado. A filha também relatou que o acusado deu vários socos e chutes na cabeça da vítima, e mesmo seu pai caído no chão, o acusado não cessou das agressões. Quando viu que a vítima estava imóvel, ele parou, em seguida ele foi encaminhado ao pronto atendimento municipal (PAM), disse também que no dia do crime ela foi agredida pelo acusado com um tapa no rosto, e logo em seguida a Policia Militar chegou na residência e os conduziu até a delegacia de Polícia Civil. A testemunha acredita que o pai já estaria morto quando foi socorrido, pois não respondia, tentou se defender, porem como estava muito embriagado, não conseguiu. A testemunha disse que por ter vivido todos estes fatos, não mora mais em Araxá e tudo isso que viveu e presenciou no dia, trouxe a ela, sua filha e seu irmão, muitos problemas.

       DEPOIMENTO DO RÉU EZEQUIEL FERREIRA

       Segundo depoimento do acusado Ezequiel Ferreira, que na época era sogro da vítima Marcelo dos Reis, ele disse que estava no dia crime na residência da vítima, namorando a filha dele, momento este que a vítima teria chegado embriago no local, agressivo, dizendo que teria brigado em um bar. Em seguida começou a ofender e maltratar o acusado, quando o acusado viu que as coisas poderiam ficar piores, ele se levantou para ir embora e, quando estava saindo viu a vítima desferir um tapa no rosto de sua namorada. Neste momento, o acusado partiu para cima da vítima, chegando a derruba-la no chão e em seguida saiu para ir embora novamente, quando já estava na porta da residência, a vítima veio atrás novamente do acusado, onde o perseguiu por alguns metros na referida rua, onde iniciaram entre ele novamente uma luta corporal, quando neste momento o acusado, desferiu um soco no rosto da vítima, ela caiu e o acusado deu nele e depois foi embora com sua namorada e filha da vítima. O acusado disse que se defendeu e não teve a intenção de matar a vítima.

       Os trabalhos de defesa do réu foi desempenhados pelos advogados, o senhor Dr. João de D’Luz, por sua filha Dra. Daniela D’Luz e neta Dra. Rafaela D’Luz, que durante o tempo disponibilizado a eles, defenderem e tentaram provar ao conselho de sentença (jurados), que o acusado teria agido em legitima defesa, que tentou evitar a briga indo embora do local, inclusive andando por cerca de vários metros, ignorando os insultos da vítima, alcoolizada naquele momento, porem após um lapso de nervosismo provocado pela vítima, teria “perdido” a cabeça e desferido o soco e chute na vítima. Tentou mostrar os jurados que o réu na época era uma pessoa honesta e trabalhadora, e que em nenhum momento teria batido na cabeça da vítima por várias e que não tinha nenhum problema com a vítima.

       Após os trabalhos da promotoria de justiça e dos advogados de defesa, o excelentíssimo juiz de direito, Dr. Renato Zouain Zupo, se reuniu com o conselho de sentença (jurados) em sala secreta, e após votação, leu a sentença onde por maioria, disseram sim ao quesito de autoria e materialidade do crime, não ao quesito absolutório, sim ao quesito da qualificadora por motivo cruel. Diante da decisão majoritária do conselho de sentença, o magistrado condenou o réu Ezequiel Ferreira de Lima, de 34 anos, anos a 12 anos de prisão em regime fechado, pelo crime de homicídio qualificado, por motivo cruel, da vítima Marcelo dos Reis Silva, no dia do crime com 43 anos. O réu retornou ao presídio de Patrocínio/MG, onde cumpre pena pelo crime de roubo. Esta foi a menor pena estipulada até o presente momento no Tribunal do Júri deste segundo semestre em Araxá.

Acompanhe no Facebook

Publicidade